N'água e na pedra amor deixa gravados
seus hieróglifos e mensagens, suas
verdades mais secretas e mais nuas.

"Entre o ser e as coisas"
Carlos Drummond

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Sócrates ou da medicina filosofal

Quantas pessoas conhecem a verdade neste mundo. Tantas. E a atacam com veneno e esbórnia.

Não há possibilidade de compreensão para quem conhece a verdade. Ao outro, desprovido e falaz, só resta a ignorância e o desdém dos sábios.

Não se incomode em destilar sua verve mordaz em minhas humildes crenças. Sei que você sabe.

Sei que te ouço. Sei que reflito. Sei que o seu desprezo não abate minha amizade e entendimento.

Não quero guerra, serei sempre um espelho para suas investidas. Elas não me atingem, penetrando seus olhos turvos que se debatem num ricochete. Um tremor intruso abalando crostas.

Quem sabe, um dia, numa dor ardilosa de sem saber, enxergará o seu tamanho e as suas chagas de que se esconde, intratadas e ressentidas.

2 comentários:

matrizmXn disse...

Boa noite.

Parabéns pelo seu espaço.
Que você seja sempre banhado por águas de inspiração e possa sempre estar ciente, de rochas seguras de dedicação à sua escrita.
Eu, um ser pouco desnorteado do norte que pode trazer a escrita, aterrei no seu espaço como reduto de procura de algum norte.Este post é particularmente incisivo nos dias que correm por mim e ora me afasto ora chego perto dele.Temo se me afasto por temor ou ate pudor por nao me conhecer ou o que é mais temivel, por temor de não me conhecerem.Sinal de desnorte meu.Não do texto.Seja pelo que for, o texto está recheado de palavras que me vincam a alma, o que só pode ser um belissimo caminho para o meu propósito quando parei neste seu espaço.
Parabéns!

Edu Café disse...

Obrigado.

Que bom que o texto teve efeito em você.

E que você encontre o seu norte. Seja ele qual for.