N'água e na pedra amor deixa gravados
seus hieróglifos e mensagens, suas
verdades mais secretas e mais nuas.

"Entre o ser e as coisas"
Carlos Drummond

terça-feira, 14 de maio de 2013

Sussurros

 

A discrição da bondade


Os anjos não são alegres
– imortalmente assistindo
com lupas os que guardam
a fraturar-se tolamente –
prisioneiros por escolha
do sol que neles pulsa
e que são,
rompendo em gêiser
sua individualidade coroada
numa inteireza sem bordas,
privados de tato assoprando
venturas débeis
de um transparente rarefeito,
fulgindo no canto esquecido
sua resiliente e doída
paz.

II 

 

Interstício


variação em torno de uma rosa

Um fio em forma de caule
fura o cimento e respira
indiferente ao improvável.

Um comentário:

matrizmXn disse...

Quando se está neste blog, a sensação que se tem é de "proibição" de falar alto...apenas "susurrar"; falar muito baixinho, para não acordar as palavras. elas acordam-nos também com susurros...ha uma sensação de respeito implícita e exigivel quando se entra aqui.

ouve-se o barulho da água
o cinzelar da pedra
sonha-se com o concreto

parabéns!