N'água e na pedra amor deixa gravados
seus hieróglifos e mensagens, suas
verdades mais secretas e mais nuas.

"Entre o ser e as coisas"
Carlos Drummond

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Cria em você

Deita sob o sol da manhã,
   querida,
que o sol da manhã é silêncio e
   brandura.

Ouve o vento na folhagem,
   querida,
que o vento o leve te
   sussurra.

Pisa firme a terra úmida,
   querida,
que a terra úmida firme te
   segura.

Debruça em mim o peito represado,
   querida,
que em mim seu peito deságua e se
   atenua.

Contempla em você a vida e sopra,
   querida,
cria em você a vida que caminha e
   fulgura.