N'água e na pedra amor deixa gravados
seus hieróglifos e mensagens, suas
verdades mais secretas e mais nuas.

"Entre o ser e as coisas"
Carlos Drummond

quinta-feira, 14 de março de 2013

Astrolábio

Entortei o meu olhar,
mas não foi mal querer.

Girei os espelhos
e o plano das luzes,
deslumbres embaralhados
entre labutas;
respirar nunca mais
foi transparente,
resto de porto
no sal sem chão.

Um comentário:

matrizmXn disse...

Olhares enviesados.Respirares turvos.
Constantes, das equações do quotidiano.
Incógnitas, que todos desejamos indetermináveis nas equações dos sonhos gravados no concreto da nossa alma.